Perguntas Frequentes

1. Como funciona o tratamento em crianças?

• O tratamento ortodôntico pode ser iniciado em qualquer idade. Porém, muitos problemas são corrigidos com mais facilidade e rapidez se detectados precocemente, antes que o crescimento e desenvolvimento da face e dos dentes tenha diminuído ou cessado.

• A Associação Americana de Ortodontia (AAO), recomenda que toda a criança visite o Ortodontista pelo menos uma vez aos sete anos de idade, ou mais cedo se algum problema for detectado pelos pais, dentista da família ou pediatra.

• Aos 7 anos os primeiros molares permanentes e incisivos superiores e inferiores geralmente já estão presentes na boca. Neste momento, mordidas cruzadas, dentes fora de posição (apinhamentos) e outros problemas podem ser melhor avaliados e tratados. Estágio da dentição por volta dos 7 anos.

AS FASES DO TRATAMENTO

a. PRIMEIRA FASE: TRATAMENTO INFANTIL (7 – 10 ANOS)
b. DESCANSO: período de contenção e acompanhamento
c. SEGUNDA FASE: TRATAMENTO NA ADOLESCÊNCIA (a partir dos 12 anos)

PRIMEIRA FASE (7 – 10 anos) – tratamento infantil

Nesta fase, o objetivo é realizar um tratamento preventivo, que facilita e encurta o tratamento ortodôntico com aparelhos fixos na adolescência. Os problemas mais comuns tratados nesta fase são:

• Falta de espaço para os dentes permanentes
• Hábitos nocivos ao desenvolvimento da face (respiração pela boca, sucção do dedo e problemas na fala)
• Posicionamento inadequado dos maxilares
• Dentes mal posicionados
• Mordida cruzada
• É nesta fase que são utilizados os aparelhos ortopédicos (móveis ou fixos), que guiam o desenvolvimento da face e dos dentes permanentes que estão nascendo e eliminam hábitos nocivos que estejam impedindo o desenvolvimento correto dos maxilares (ex:língua entre os dentes, respiração pela boca, chupeta, dedo, etc…). (ver aparelhos móveis – ortopédicos)

Salvo raras exceções, este tipo de tratamento deve durar em média de 12 a 18 meses no máximo.

DESCANSO

• É um intervalo entre as duas fases de tratamento, e pode durar de 6 meses a 2 anos, dependendo do estágio de troca em que a criança se encontra.
• Durante esta fase, iremos: acompanhar o crescimento e desenvolvimento e aguardar a finalização da troca dos dentes de leite pelos permanentes.

– As consultas durante este período serão bastante esporádicas, geralmente de 6 em 6 meses, somente para o acompanhamento. O uso de um aparelho de contenção nesta fase, não é obrigatório; depende muito de cada caso.

– Quando a criança estiver com todos ou quase todos os dentes permanentes presentes (por volta dos 11-12 anos), iremos pedir uma nova documentação ortodôntica e avaliaremos a necessidade ou não de prosseguir o tratamento com aparelhos fixos

SEGUNDA FASE

– É a continuação do tratamento ortodôntico utilizando aparelhos fixos. Esta fase é realizada durante a adolescência, preferencialmente quando todos ou quase todos os dentes permanentes estão presentes na boca. Isto ocorre em média por volta dos 11/12 anos nas meninas e 12/13 anos nos meninos. O tempo de tratamento dura em geral de 24-30 meses.

– Nesta fase, quase todos os problemas ortodônticos podem ser tratados. Com a cooperação do paciente, o ortodontista pode movimentar os dentes e guiar o crescimento dos maxilares, resultando num sorriso agradável e uma face harmônica.

2. Como funciona o tratamento em adolescentes?

A maior parte dos tratamentos ortodônticos é realizada durante a adolescência. A razão para isto, é que neste período ocorre o surto de crescimento puberal que culmina com o estirão; considerado o divisor de águas entre a infância e a adolescência. O surto de crescimento pode ser notado por algumas características físicas:
• amadurecimento do rosto,
• muito ganho em altura num curto espaço de tempo (estirão – menos de um ano),
• aparecimento de caracte’risticas sexuais secundárias (pêlos, engrossamento da voz, menstruação, etc..)

Este “boom” de crescimento é um período crucial na ortodontia , pois permite a realização de correções efetivas e permanentes na estética e função oro-facial, não conseguidas em nenhuma outra fase do crescimento. Esta “janela” de crescimento tem um período de duração muito curto, e varia de pessoa para pessoa. Seu início, pico e fim são determinados pela análise dos estágios de ossificação dos ossos da mão e punho através de uma radiografia, conhecida como análise carpal. Há casos, como nos tratamentos cirúrgicos, onde a análise carpal será o fator determinante para a realização do tratamento nesta fase ou numa idade mais avançada, após o término do crescimento.

3. Como funciona o tratamento em adultos?

O sorriso tem um papel fundamental na estética facial e as pessoas estão a cada dia, tornando-se mais conscientes disto. O número de adultos procurando o tratamento ortodôntico para aprimorar seu sorriso também cresceu muito nos últimos anos.

Vários estudos já comprovam que os dentes podem ser movimentados em qualquer idade. Até pouco tempo atrás porém, o desenho do aparelho e a tecnologia dos fios fazia com que a movimentação nos adultos ocorresse mais lentamente do que nos adolescentes. Atualmente, com as novas tecnologias em ligas para os fios ortodônticos e design avançado dos aparelhos, este problema foi eliminado. Além disso, com o surgimento dos implantes e mini-implantes, surgiram novas possibilidades para a solução de problemas que anteriormente tinham difícil resolução ou resultados estéticos precários.

• A ortodontia contemporânea atua como uma coadjuvante no tratamento estético-funcional do paciente adulto, criando, através da movimentação dos dentes, os alicerces onde será desenhado o novo sorriso. Isto gera resultados mais estáveis e excelência estética. Além do alinhamento dentário, a Ortodontia em Adultos também pode atuar movimentando os dentes para:
• Reestruturar o osso e redesenhar a gengiva, gerando resultados mais naturais
• Abrir ou recuperar espaços para a colocação de implantes-próteses
• Fechar espaços excessivos ou de dentes perdidos
• Reposicionar os maxilares e corrigir assimetrias faciais através da cirurgia ortognática
• Auxiliar em certos casos de disfunção têmporo-mandibular (dores de cabeça, bruxismo)

4. Quais são as características e indicações do aparelho fixo?

O aparelho fixo é o único capaz de realizar movimentos dentários de alta complexidade em todas as direções necessárias. Isto ocorre porque ele é colado na superfície do dente, e o fio que encaixamos nele pode ser dobrado da forma que queremos para conseguir os movimentos. Para assegurar que o fio não irá soltar, ele deve ser encaixado e “amarrado” no aparelho. Antigamente isto era realizado pelas “borrachinhas coloridas”.

Atualmente existe um sistema, que utilizamos no consultório, onde o fio é preso ao aparelho por um sistema de travas que substituem as borrachinhas, chamado de Sistema Autoligável Passivo.

Este sistema possui uma tecnologia altamente sofisticada, é atualmente o mais utilizado nos EUA, e pode ser metálico ou transparente. Dentre suas vantagens podemos destacar:
– tratamento mais confortável pela aplicação de forças super-leves
– redução do número de consultas (a cada 8 semanas ao invés das tradicionais 4)
– aumento das alternativas de tratamento, reduzindo o número de extrações
– mais facilidade na higienização
– respeito aos limites biológicos de cada organismo minimizando efeitos colaterais, e indicado inclusive em pacientes com perdas ósseas e retração da gengiva

Este tipo de aparelho é indicado para adolescentes e adultos, sendo utilizado exclusivamente na dentição permanente.

5. Quais são as características e indicações do aparelho móvel?

Os aparelhos móveis e/ ou ortopédicos são utilizados durante a fase de crescimento e desenvolvimento da face e dos dentes. Se usados conforme indicado, são extremamente eficientes e podem até eliminar a necessidade de aparelhos fixos no futuro. Eles apresentam diferentes funções, das quais podemos destacar:
– conseguir espaço para os dentes permanentes,
– remover hábitos nocivos ao desenvolvimento e crescimento como chupar o dedo, sucção de lábios, interposição da língua
– agem no crescimento dos maxilares – podendo alterar o aspecto do rosto

6. Como funciona e quais as vantagens do aparelho Incognito?

O aparelho Incognito é um aparelho fixo estético colocado por trás dos dentes, para não aparecer; daí o nome. Embora necessite de mais conhecimento técnico por parte do ortodontista, o Incognito realiza os mesmos movimentos de alta complexidade que os outros aparelhos. Porém, ao contrário dos aparelhos pela frente, o Incognito é totalmente individualizado, fabricado 100% sob medida, de acordo com o formato de cada dente do paciente, utilizando uma tecnologia alemã de alta precisão. Aliado aos fios inteligentes (de alta memória), este sistema é tão eficiente quanto o convencional, com a vantagem de ser invisível. Vantagens:
– Escondido por trás dos dentes
– 100% sob medida para cada paciente
– conforto
– eficiência

7. Os dentes podem voltar? Por que?

O dente que foi movimentado possui uma memória de sua antiga posição. Assim que o aparelho é removido, a força no dente pára, e o osso inicia um processo de “endurecimento”. Até que isso occora, o movimento de volta dos dentes (recidiva) é mais crítico, pois o osso em volta dos dentes ainda está “mole” devido ao tratamento. O aparelho de contenção mantém o dente na posição ideal até que o osso “endureça” completamente. O tempo para que isto ocorra varia de acordo com o caso, não havendo um tempo de uso definido. O tipo de contenção irá depender do caso e da tendência maior ou menor desta “volta” acontecer.

É importante ressaltar que ao longo dos anos, independentemente do tratamento ortodôntico ter sido realizado ou não, existe uma tendência natural de os dentes se movimentarem parcialmente; a acomodação. Isto ocorre devido ao uso que fazemos dos dentes, e ao envelhecimento do rosto. A região dos dentes da frente da arcada inferior é a que mais tende a voltar. Nós preconizamos o uso de uma contenção permanente nesta região, que consiste num fio fino colado na parte de trás destes dentes.

8. Como fazer a limpeza dos aparelhos?

Durante o tratamento com aparelhos fixos, a escovação torna-se um pouco mais difícil, pois as peças do aparelho (brackets) facilitam o acúmulo de alimentos e placa nos dentes. A escova deve ser macia, de cabeça pequena e com as cerdas laterais um pouco mais altas, para que cheguem nas partes mais profundas dos brackets e nos cantos da boca. As escovas interdentais também auxiliam bastante na limpeza, principalmente por baixo do fio e nos cantos dos brackets. O fio dental deve ser utilizado diariamente; recomendamos o uso de um fio com a extremidade de plastico duro, que facilita a passagem entre os dentes.
É necessário também realizar visitas periódicas ao dentista clinico geral (preferencialmente a cada seis meses), durante o tratamento, para um exame e limpeza mais minunciosa.

O aparelho móvel deve ser higienizado com escova e pasta de dente em toda a sua parte acrílica e no fio, sempre que for recolocado na boca. Quando não estiver sendo usado, deve ser mantido dentro de um copo com enxguatório, para evitar o mau cheiro e gusto ruim. Uma vez por semana deve ser mergulhado numa substância efervescente tipo Corega Tabs para auxiliar a remoção de resíduos.

9. O que fazer em caso de dor?

Um certo nível de desconforto é normal nos primeiros dias após a colagem do aparelho e depois de cada consulta. Isto é causado pela força que aplicamos para movimentar os dentes. Cada pessoa tem um nível de tolerância ao desconforto; uns sentem mais e outros menos. Se você estiver usando um fio sensível à temperatura, pode tomar um sorvete ou água gelada para aliviar. Enquanto estiver sensível, principalmente nos primeiros dias, evite comidas muito duras e mastigue com cuidado. Se necessário, um analgésico pode ajudar a aliviar.
A dor na gengiva pode ser causada por restos de alimentos entre os dentes ou entre o dente e o aparelho. Procure bochechar com água morna e sal, enxaguatório, escovar levemente e usar fio dental.
Se o incômodo for na bochecha, use o silicone para aliviar, e verifique se não há fio sobrando ou alguma peça solta. Se este for o caso, ligue para agendar uma consulta o mais breve possível.
Caso a dor persista por mais de três dias, pedimos que entre em contato e marque uma consulta.

10. O que fazer se o aparelho fixo quebrar?

Os aparelhos fixos são projetados para movimentar os dentes em todas as direções. Porém, se uma peça (bracket) soltar, o dente ficará desencaixado do fio e não se movimentará com os outros. Isto causa um atraso na evolução do tratamento. Para evitar isto:
– tome cuidado com alimentos duros e pegajosos que podem soltar o aparelho
– procure não faltar as consultas
– assim que perceber alguma peça solta, ligue o mais breve possível para agenda uma consulta

11. E se o aparelho móvel quebrar?

Estes aparelhos são compostos por uma resina acrílica que pode quebrar, ou soltar algum fio. Para evitar que isto ocorra, procure colocar seu aparelho na caixinha ou no copo com enxaguatório. Nem sempre é possível consertar a resina, podendo ser necessário um novo aparelho, o que gera um custo adicional.

12. O que fazer em caso de perda do aparelho?

Ligue para marcar uma consulta assim que possível, para que seu tratamento não desande! Se você perdeu a contenção, nos avise, pois às vezes é possível confeccionar uma nova sem que você tenha que vir ao consultório para nova moldagem.

13. A Ortodontia Monica Salfatis atende planos odontológicos?

Não atendemos planos odontológicos.

14. Qual o primeiro passo para começar meu tratamento?

Você deve marcar uma consulta sem compromisso para avaliarmos as suas expectativas e necessidades. Em seguida, faremos o pedido de exames radiográficos e indicar um local de sua conveniência para que possa realizá-los.

15. Qual sera a duração do meu tratamento?

Depende do tipo de tratamento e da resposta individual de cada organismo. Em média, os tratamentos infantis não devem passar de 18 meses de tratamento, os adolescentes e adultos entre 24-30 meses, e alguns casos específicos como os cirúrgicos, 36 meses.

16. Que outros tratamentos são realizados no consultório?

A Dra. Monica atua exclusivamente em Ortodontia. Porém, quando necessário trabalha em conjunto com profissionais altamente capacitados, alinhados com sua filosofia de trabalho, nas áreas de:
– estética
– prótese
– endodontia (tratamento de canal)
– implantes
– periodontia (doenças da gengiva)
– prevenção em adultos e crianças

– odontopediatria (odontologia infantile)
– disfunção temporo-mandibular (ATM)

A Dra. Monica acredita que, trabalhando em conjunto com profissionais de diferentes especialidades, é possível oferecer um tratamento mais abrangente com resultados bastante diferenciados.

17. Qual o horário de atendimento e contato para emergência?

O Consultório funciona das 9:00 às 19:30 hs, de segunda a sexta feira. Em caso de emergência, entrar em contato pelo email: clinicamonicasalfatis@gmail.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *